I don't want to miss the train...

 Eu não quero perder o trem... em meu coração 

Eu gosto de trens, porque, embora pesados, eles conservam aquela leveza peculiar que desliza sobre trilhos,e nos trilhos ocupados pelos trens, há uma natureza de esperança... Por isso a expressão “fora dos trilhos” denota algo desordenado...
No passado tive uma linda experiência em trem. A imagem abaixo comprova.... Existia uma linha de trem (extinta em 1996) chamada Estrada de ferro Santos/Jundiaí, que antes foi a histórica São Paulo Railway. Os vizinhos viajantes eram passageiros usuais, sonolentos para mais um dia de expediente, porém eu embarquei nesse trem na estação do Valongo, às 5 da manhã, com o sorriso desenhado no rosto e o caderno de anotações radicado na mente.
Descobrindo novas paisagens de variadas belezas...

arquivo pessoal
arquivo pessoal


Fazendo observações de pontos de partidas, pontos de chegadas, pontos de espera, consigo reter, nesses meus pensamentos, o significado da expressão “perder o trem”.
Alguém que se rende ao medo pode perder o trem? Pode.
Alguém valente que se entrega de frente pode perder o trem? Pode
Alguém triste ou contente também pode perder o trem...
Por omissão, dúvida, fraqueza, receio, desacerto, apatia... assim uma situação se acha fora dos trilhos...
 A verdade é que é muito fácil perder o trem!
Na lucidez dos ponteiros do próprio tempo é sentida a hora, a hora de embarcar, desfrutar a viagem, se acomodar no assento do seu vagão preferido. Oportunidades não esperam!
Nos anos 90, o cantor Supla já soltou a voz, dizendo: não quero perder o trem... em meu coração
Ninguém gostaria de perder o trem de seu coração, não é?

Diva de Montalbán

Instagram