Um velho mapa

Nesta ilha solitária, coloquei ao meu redor  mil figuras.
Em tons azuis e amarelos...um abraço, um beijo , uma foto...a rotina e a surpresa...
Outras imagens surgem repentinamente aqui, me cercando e cantarolando uma canção com a voz baixa, dizendo que estou olhando para longe demais ... E olhando para longe demais, mais a solidão se aproxima.
Eu ouço e as vezes sorrio, por saber que jamais será possível aos que nasceram cativos e consequentemente cegados ,captar a extensão do mar que vejo. O mar que traz a liberdade... liberdade de ser quem sou, liberdade de ser como sou, liberdade de pensar o que tenho vontade, liberdade de trazer para perto  minhas mil figuras sem que elas me assombrem.

E aqui mesmo, nesta ilha solitária, para não temer as sombras que se escondem na escuridão, canto minhas cantigas de extintas partituras, guardadas num velho mapa de um tesouro.

Crepúsculo em San Giorgio Maggiore (Claude Monet)

O Mapa















E a cantiga


Diva de Montalbán

Instagram